DESCOMPLICANDO O BILINGUISMO: DANDO UM EMPURRÃOZINHO

por Karen Dutra

O desenvolvimento lingüístico, assim como o desenvolvimento social, emocional e cognitivo, é um processo que decorre da interação do preparo biológico da criança e o ambiente em que a criança está inserida. Neste sentido, é importante ressaltar que o aprendizado é influenciado também pelo desenvolvimento social e emocional da criança.

A aquisição da língua, portanto, se dá mediante a experiência que a criança tem com a língua. E para cada criança será um processo diferente. Lembre-se: cada criança é única! Assim, meus caros brasileiros na Holanda, como será que podemos contribuir para essa aprendizagem, no caso dos nossos pequenos bilíngues? Aqui vão algumas dicas:

  1. Orgulho de ser brasileiro!

Seu pequeno não anda muito interessado no português? Tentem dar aos seus filhos razões e oportunidades para que eles queiram usar o idioma. A família é primordial no processo de aprendizagem e deve mostrar orgulho de falar o português. A família não deve se sentir diferente ou estranha, por não falar a língua local. Visitar o Brasil, mostrar a cultura, a culinária e hábitos pode ajudar nesse processo de identificação com a língua.

  • Linguagem afetiva

Acho que vocês vão concordar comigo que, ao falarmos das nossas emoções, nada como podermos nos expressar na nossa própria língua, não é mesmo? Então, se formos nos expressar afetivamente com nossos filhos, é importante que essa comunicação seja feita na nossa língua materna. Além de proporcionarmos uma conexão mais forte com a criança, damos a oportunidade dos pequenos também aprenderem a expressar suas emoções em português. Não tem preço!

  • Exposição é a palavra chave!

Os pais precisam variar os contextos de uso da língua, para proporcionar à criança uma experiência lingüística mais abrangente. Falar com a família, participar de brincadeiras, cantar musiquinha ou ler livrinhos pode ajudar. E uma coisa muito importante: converse com seu filho em português! Dê a chance para ele se expressar. Nós, os pais, devemos dar sempre esse empurrãozinho.

  • Entendimento do casal

É muito importante que haja um entendimento do casal quanto à educação do filho e a participação de ambos nessa tarefa. Ambos os pais são importantes para o desenvolvimento ligüístico da criança, ambos têm que valorizar a língua que a criança ouve e fala, mesmo que sejam de nacionalidades diferentes.

  • Consistência

Há um detalhe muito importante para os pais de filhos bilíngues. Seus filhos podem usar codeswitching (processo de misturar línguas em uma frase), mas papais e mamães não podem! Pais que misturam as línguas, ao falar com os filhos, podem complicar o processo. É muito importante que haja consistência na fala dos pais. É importante evitar ao máximo misturar muito as línguas, ou falar uma segunda língua se não dominá-la bem. Ás vezes, há três ou mais línguas na dinâmica familiar. Desde que haja consistência na comunicação, não haverá problema nenhum.

  • Empatia

A criança deve ser estimulada positivamente a falar a língua. A experiência da       aprendizagem deve ser agradável. Não devemos obrigar a criança a falar ou ridicularizá-la, se houver algum erro. Quando a criança cometer um erro ou falar a palavra em outra língua, corrija-o delicadamente. Lembra quando ele pediu water? Em vez de falarmos: “Não é water, menino! É água! Entendeu??”, podemos dizer: “Ah, você quer água! Aqui está a água.” Assim a correção não faz com que seu filho se sinta ridicularizado e a experiência se torna positiva.

  • Rótulo, nunca!

Nunca rotule seu filho como problemático, incapaz de aprender ou atrasado, pois a criança pode passar a acreditar na sua dificuldade. Seu filho vai ficar inseguro e isso pode dificultar o processo de aprendizagem.

Nós podemos citar aqui muitas variáveis que influenciam nesta aprendizagem e, com certeza, esse post não esgotou todas elas. O mais importante é lembrarmos que podemos contribuir para esse processo e, se realmente houver alguma dificuldade de aprendizagem, saibam que é reversível. Conecte-se com seu filho para poder ajudá-lo!

Se você tiver alguma outra dica, compartilhe aqui nos comentários!

Karen é psicóloga, atende crianças, adolescentes e adultos, é especialista em Análise do Comportamento e Terapia Cognitiva-comportamental.
http://redequerobrasil.com/listing/psicologa/

Leia outros artigos relacionados:

http://redequerobrasil.com/bilinguismo-so-veio-para-complicar/

Comentários

  • Marina
    18/07/2019 at 10:14

    Adorei o artigo. Confesso que muitas vezes uso o code switch, e a partir de agora vou me policiar mais!

  • Agatha Kuiper
    16/05/2019 at 09:15

    Um super artigo… Com certeza muitas mães podem se beneficiar com essas informações! Vamos compartilhar!

chat
Adicionar um comentário